Pages

quarta-feira, 3 de abril de 2013




Ainda não compartilhei com vocês: VOU SER MAMÃE DE NOVO.
Tô muito, muito feliz, já fiz meu primeiro ultrassom, tá tudo bem.Vou fazer a transnucência nucal, dia 08/04 que é vésperas do meu aniversário.
Enfim...
Hoje que falar das intempéries da vida.

Quero começar por uma frase que li, em uma rede social que me chamou a atenção.

“Não julgue nem deprecie o próximo. Certo ou errado são somente formas de se olhar a mesma coisa por lados diferentes” (Roberto Shinyashiki). Isso é fato! Temos mesmo a mania de julgar pessoas sem antes analisar todos os lados de cada situação. E insistimos no erro ao acreditar que o outro é sempre o equivocado e, nós, os donos da verdade. Como Jesus ensinou, olhe para si antes de fazer qualquer acusação a alguém. Porque tirar conclusões precipitadas é fácil, difícil é consertar o engano de julgar o próximo sem antes se dar conta de suas próprias atitudes.
Ninguém é absoluto o suficiente para se colocar diante de quem quer que seja como o rei da razão. O seu certo pode ser o meu errado, e vice-versa. Cada um é cada um. Devemos, sim, expor nossas posições, mas sem atacar quem pensa o contrário. O cantor Raul Seixas, sabiamente, disse “Duas pessoas discutirem e não chegarem a uma conclusão igual é a melhor prova de que cada ser humano tem o seu valor e identidade própria”. Eis a lei da vida: respeito ao próximo.



É uma realidade que temos que aprender a conviver.Quem nunca teve problemas com a melhor amiga, com a mãe, com o pai, enfim com quem muito ama???
Mas se tivermos esse princípio em nossas mentes, fica muitooo mais fácil, de compreendermos o outro lado, que  digno de passagem, importante.

Eu tenho muito medo da palavras, por que uma vez ditas elas não voltam, prefiro me resguardar o direito de permanecer em silêncio, do que causar uma ferida que não sara.Hoje sabemos, que é cientificamente comprovado que a DEPRESSÃO, é a dor da alma.Como posso carregar um peso tão grande, em ser contribuinte para uma dor tamanha.

Sempre dizia o que pensava, acha que assim era ser livre, mas percebi, que: eu era ESCRAVA do que eu falava.
Hoje respeito a todos, tolero poucos!

É mais fácil viver assim, NÃO!!!!
Tenho que me segurar, amordaçar, engolir seco, muita coisa, mas em prol da minha liberdade.Então vale, vale muito a pena.

Sejamos menos egoístas e orgulhosos, não quero ter diploma e doutorada de melhor amiga, não quero honra, quero ter o mesmo direito que todos têm de acertar e errar.

Então é isso!

Beijocas da Lu
Ocorreu um erro neste dispositivo